quarta-feira, 29 de junho de 2016

Comportamento Lolita - Isso Existe?

Kamikaze Girls
AVISO - Este post contém treta, muita treta, mas nem vem tretar nos comentários, hein!

(EDIT: deixando bem claro que estou falando dos comentários que vi nas timelines, não sobre o vídeo)

Recentemente houve uma pseudo treta na comunidade acerca de um vídeo. Nem vou me adentrar muito nisso daqui porque se você faz parte da comunidade sabe, e se não sabe sorte a sua. Enfim. Mas aí veio aquele assuntinho chato que quem é mais da velha escola lembra: o comportamento lolita. E é claro que eu tinha que dar meu pitaco.
Como sempre, gostaria de lembrar que não sou deus ou *insira uma entidade maior em que você acredita* e que não, essas palavras não estão gravadas em pedra. Faça o que você quiser.
Aliás, aproveitando o "faça o que você quiser", é bem isso o resumão do post: faça o que você quiser.
Lolita é nada mais nada menos que uma moda, são fucking roupas. E mesmo que um estranho espere que você seja super doce e meiga com ele por estar com quilos de anáguas e babados rosas, lembre-se: ninguém é obrigada.
Obrigada, Paola.
"MAS TIA AIKO AS LOLITAS SÃO MÁS E NÃO SEI O QUÊ". Gente, lolitas são gente. Lolita pode ser sua vizinha, sua tia, sua melhor amiga que você ama de paixão, aquela pessoa que você não suporta... se a pessoa se vestir corretamente no estilo. Vestiu corretamente é lolita, independente da classe social, se é de esquerda, direita, centro... É lolita do mesmo jeito.

Uma questão que me chamou bastante a atenção foi justamente as pessoas que defendiam o famigerado comportamento lolita o definirem como sinônimo de educação. Não. Comportamento lolita é super diferente de educação. Isso porque um comportamento lolita non ecziste. Educação sim, e vem de casa. Você pode defender que x pessoa é mal educada, não generalizar que lolitas são mal educadas. Há pessoas e pessoas, cada uma com uma educação diferente. E acredite, ninguém vai mudar essa educação por estar em um quilo de burando. 

Por outro lado, temos o Lolita Lifestyle, que nada mais é do que adicionar mais coisas lolita à sua vida diária. O lifestyle não é obrigação de uma lolita, adere quem quer. Eu mesma sou uma lifestyler, mas o conceito de lifestyle varia muito de pessoa pra pessoa. Eu por exemplo, gosto de costurar roupas lolita, deixar minhas coisas o máximo possível lolita... enfim. Mas só porque sou lolita e você também é, você não é obrigada a fazer isso. 

Alguns defendiam que esse é o comportamento digamos original do estilo. Não concordo muito com isso. Esse é o comportamento do POVO JAPONÊS, independente de ser lolita ou não. Sobre esse comportamento peculiar, podemos citar Otto Bauer, que em sua obra "A Nação", descreve o caráter nacional como "[...]a totalidade das características físicas e mentais que são peculiares a uma nação, que unem seus membros e os separam de outras nações [...]". Versa Bauer que:

"Parte do caráter nacional é, certamente, a determinação diferencial da vontade. Em qualquer processo de aprendizagem, a vontade se expressa como atenção, que seleciona da massa dos fenômenos experimentados apenas alguns e percebe somente esses. Expressa-se ainda mais diretamente, contudo, em qualquer decisão: um alemão e um inglês agem de modos diferentes numa mesma situação; lidam diferentemente com um mesmo trabalho; na busca do lazer. escolhem prazeres diferentes; quando são igualmente abastados, preferem estilos de vida diferentes e satisfazem diferentes necessidades - essa e, por certo, a essência do caráter nacional". (grifo nosso)

Concordo no ponto em que as lolitas japonesas podem ter um certo padrão de comportamento, mas jamais que isso seja algo estrito do estilo. É algo inerente ao Japonês. E assim como tem brasileiro mal educado, tem japonês que é também. Japonês que pratica bullying (o chamado ijime), japonês chato, que você não suporta, do mesmo jeitinho que no Brasil. Se duvida, tem algumas matérias sobre o Japão e seu Bullying que leva à morte todos os anos muitos estudantes no começo das aulas:

http://www.japaoemfoco.com/ijime-maus-tratos-nas-escolas-do-japao/

http://connexion.tokyo/aqui-no-japao-ha-ijime-sim-bullying/

Achei bem pertinente uma parte desse post seguinte: "O sistema educacional japonês (disso eu posso falar com propriedade, pois trabalhei dentro das escolas japonesas por vários anos), incentiva a coletividade e não a individualidade. Todos devem ser e se portar da mesma forma."
Frise-se aqui o "sistema educacional japonês". Não é só as meninas que usam lolita, é toda uma sociedade. Ou seja, não é exclusivo do estilo.

https://tabibitosoul.com/2013/06/25/o-japao-e-a-cultura-do-bullying-ijime/

Voltando ao quesito educação, acho que isso é essencial. Mas não a educação do tipo carregar livros na cabeça, ou whatever. Respeito, it's all about respeito. Aquela frasezinha chata, de que seu direito termina onde começa o do outro, entende. E nisso a pessoa pode fazer o que quiser da vida dela: sentar com perna aberta de burando, beber litros de cerveja, gritar, dançar, enfim, desde que não esteja prejudicando ninguém.

Espero que isso seja de alguma ajuda. E para finalizar, peguei um pedacinho da tradução que a Ichigo fez do Novala Takemoto, onde ele diz:

"Lolita não reconhece nenhuma autoridade. Elas seguem apenas os valores que escolheram para si mesmas, apesar do que qualquer outra pessoa possa dizer."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo (a)!
É muito gratificante ter sua opinião registrada aqui!
Deixe o link de suas redes sociais para que eu possa retribuir seu comentário. Todos os comentários são devolvidos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...